Editorial

 

     A Revista Mátria Digital considera-se desafiante a estimular o desenvolvimento, e a diversificação das várias áreas do conhecimento. Atenta à dimensão da oportunidade para partilhar a diversificação na inovação, cooperação em solidariedade.

     Assim, cumpre a Mátria Digital a nova e notável perspectiva interdisciplinar, ao sol da investigação, valorizando o reconhecimento social da ciência.

     O Centro de Investigação está a comemorar os seus oito anos de vida, na satisfação muito profícua dos seus Membros, dados à realidade, com a sua experiência própria, num louvor festivo, pela sua projecção e capacidade de incursão no universo cultural.

     Hoje, tenho de há muitos anos a imagem na minha memória, do Senhor Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão, no Salmeirim.

     Nesse Salmeirim onde escrevia a sua História de Portugal, o Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão procurava o trilho de vidas e pessoas de há centenas de anos, fruto da análise dos diferentes níveis da complexa realidade histórica de cada época, apoiado no seu ficheiro de milhares de fichas, e na sua biblioteca que ultrapassa os quarenta mil livros, pouso obrigatório para tantos dos seus alunos. Tinha um olhar atento sobre os problemas reais, cheio de esperança no mundo, sempre com a preocupação da valorização do homem na sua condição terrestre, longe de encerrar o ciclo de uma formação excepcional. Adepto de nada deixar de fora, tudo analisar, tudo procurar compreender, num esforço permanente de aproximação à verdade. Numa das suas entrevistas ao jornal, "Diário de Notícias", o Senhor Professor dizia:

"Aquilo em que acredito firmemente é que a vida fez-se para dignificarmos a pessoa humana e para honrarmos o tempo que nos foi dado viver, fazendo o bem e não fazendo o mal."

     O insigne historiador, que tanto tem prestigiado a Cultura Portuguesa, dizia com humildade:

"Saí da faculdade como aprendiz de História e continuei aprendiz de História toda a vida. A história é de tal modo grande e importante que estou sempre a rectificar e a rever”[1].

     O Senhor Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão comemora os seus 95 anos de idade, no dia 8 de Julho de 2020.

     Nem sempre as palavras vão para o espaço em direcção ao esquecimento. Irresistível não trazer a presente a Assembleia de Investigadores N.º XIII, do dia 9 de Abril 2013, com a douta comunicação “De Santarém a América. Traços de diálogo com Joaquim Veríssimo Serrão”[2], pelo Senhor Professor Doutor José Manuel Pérez-Prendes Muñoz-Arraco:

Bem, Joaquim, os nossos trabalhos, os nossos livros ficaram feitos, eles são os nossos filhos. E nós, hoje, acertamos a recuperar o mesmo tempo, nosso velho tempo.

Nós tivemos a seguir e a olhar, na companhia de toda a nossa biografia amontoada. Nós estamos em duas vivendas muito desviadas; Santarém (sonho dum porto infinito) El Escorial (árvores, pedras, montes) separados um do outro. (...)

Agora, num dia que nós temos para lembrar o nosso caminho ligado, Joaquim meu irmão, a imagem predominante na minha retina não é outra que a tua serenidade.

Y (esto quiero decirlo para terminar en la lengua española que tanto has amado y enriquecido) por tu específica serenidad de profesor, que supo esperar tanto tiempo para que su compañero volviera a reanudar el paseo conjunto, trayendo un vaso de agua”.

     Um diálogo de duas grandes figuras da cultura Portugal / Espanha, dois homens sempre a reler, que escreveram, pensaram e debateram, que viveram tensões sociais, venceram o risco do dirigismo político,  da ambiciosa utopia, hoje tão aplaudidos pela cultura, projecção para a memória dos tempos.

     Em cada trabalho da Revista Mátria Digital está o natural da criação intelectual, do domínio científico do autor, na graça da elegância do seu estilo, empenho e dedicação, de um novo paradigma a garantir a inovação de excelência.

     Professor Doutor José d’Encarnação, “Chorar, em Roma, a morte de uma bebé”; Professor Doutor Vasco Gil Mantas, “Em torno da representação da Lusitânia na Geografia de Cláudio Ptolomeu”; Professor Doutor Márcio Gimenes de Paula, "O paganismo nos seus momentos finais: a afirmação do cristianismo na Antiguidade Tardia - uma análise histórico-filosófica e alguns apontamentos a partir de A História contra os pagãos de Orósio"; Professora Doutora Fernanda Maria Guedes de Campos, “Autores “hereges e atrevidos”: impactos da atividade da Real Mesa Censória em bibliotecas religiosas”; Professora Doutora Elisa Lessa, “Os Beneditinos e a Música: notas sobre o Mosteiro de S. Bento dos Apóstolos de Santarém”; Professor Doutor António Pereira Coutinho, " As Damas da Casa da Rainha nos séculos XVII, XVIII e XIX – nótulas a um tema pouco explorado da nobiliarquia portuguesa” Coronel Paulo Jorge Lopes da Silva, "Primórdios da presença portuguesa em Angola: O reino dos ngola e a lenda das minas de prata”; Professor Doutor João P. C. Fernandes Thomaz, “M-(M)Dmp – Um Novo Processo de Tomada de Decisão (Militar) de Gestão: Uma Abordagem Multimetodológica”; Professor Doutor Daniel Estudante Protásio, “Análise histórico-prosopográfica da correspondência dirigida pelos duques de Cadaval e Lafões ao 2º visconde de Santarém (1832-1833)”; Professora Raquel Sánchez, "Political Uses of the Funeral of Writers in Spain (1833-1936)”; Mestre, Dra. Sónia Rebocho, “O Rebate: Orgão de imprensa do Centro Republicano Federal de Lisboa (1873-1874) – Uma abordagem”; General João Jorge Botelho Vieira Borges, “O Exército Português: da data comemorativa à fundacional”; Professor Doutor Álvaro Macieira-Coelho, “Por que envelhecemos?”; Professor Doutor José Jerez Iglesias, “Evolucion del Estado y de Generaciones de Derechos Humanos”; Professor Doutor Juan Carlos Garcia, "Acuerdos de Cooperación entre Portugal y España desde su entrada en la Comunidad Europea (1985-2013)”; Mestre Dra. Vanda Marisa Ferreira, “Conceitos que influenciam a criação de valor das cidades: Marketing de Cidades e Cidades Criativas”. Na secção de Leituras, Professor Doutor Helder Filipe, ““Música social” e a narrativa: o caso de Miles Ahead”; Dr. Eduardo Costa, “A Génese”.

     Uma palavra de profunda gratidão é devida ao Senhor Dr. Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Santarém, que protege as condições dadas aos domínios da avaliação e protecção do sistema científico e tecnológico do Centro de Investigação, que logo garante esta Revista Mátria Digital.

 

Santarém

Novembro 2020

Martinho Vicente Rodrigues

O Director

 

     Vivemos o inesperado, em profundo pesar e grande dor, do impacto dado pelo falecimento do Senhor Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão, no dia 31 de Julho de 2020, grande figura nacional.

     O Senhor Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão, notável universitário, académico, companheiro ideal em todas as horas, cultor de méritos científicos, pelos caminhos da verdade. Homem de acção e intervenção, de olhar sempre fixo no quadro ideológico e político, pronto a desenvolver a criatividade, daí a abrir novos horizontes na seara do saber.

     Deixa-nos a sua escola, para formar, actualizar, na plenitude os “estudantes” na caminhada do futuro, em direcção a novos modelos universitários, académicos e culturais.

     Permanecerá para todo o sempre a sua luz de orientação, insistindo, na forma do inconfundível e criativo, o projecto de cada Mátria Digital.

 

Santarém

Novembro 2020

 

Martinho Vicente Rodrigues

O Director

 

 


[1] Leia-se Martinho Vicente Rodrigues, História de Santarém, Santarém, Centro de Investigação Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão, 2019, pp. 885 – 886.

[2] Leia-se Professor Doutor José Manuel Pérez-Prendes Muñoz-Arraco,"De Santarém à América. Traços de diálogo com Joaquim Veríssimo Serrão", in Revista Mátria XXI, n.º 2 Santarém, Centro de Investigação Professor Doutor Joaquim Veríssimo Serrão, Câmara Municipal de Santarém, 2013, pp. 13 e 15.