Editorial

          A Revista Mátria Digital compõe uma estrutura permanente, que visa diversas áreas do conhecimento, atendendo à diversidade de matérias, no campo das ciências e das tecnologias. E assim se entende o seu apego ao seu ideário, universalista, singularizado na maturidade do saber. Todavia, na percepção do tempo, por entre diversas opções ideológicas, temos na Mátria Digital o fruto de quanto é assumido da arte de pensar e singularidade do saber.

          Competência e rigor escrupuloso se deve ao empenho, lucidez e sentido de missão do Conselho de Redacção e Conselho Editorial, na formulação de propostas de alterações. E assim se entende o seu apego ao Centro de Investigação, ao legar valores e princípios, ausentes de simplificações gratuitas, mas a fortificarem a estrutura de uma teia científica, cultural e didática, de uma politica editorial, lucida e critica, próprio de uma pulsão futurista.

          A Revista Mátria Digital, N. º6, é um valor da própria prática da investigação, em cada trabalho fica a fidelidade aos objectivos fundamentais, conteúdo concreto a espelhar originalidade, riqueza científica a contribuir para estimular a universalidade, inovação e experimentação. Penhorados estamos aos investigadores, exemplos de multiplicidade e qualidade.

Professor Doutor José d’Encarnação, “A ressurreição de Lisboa antiga”; Professor Doutor Luís Reis Torgal, “A “Restauração” / História, Ideologia e Memória”; Mestre, Dr. Ricardo Ribeiro, “Comparação entre a mitologia / religião grega e romana”; Professor Doutor Juan Carlos Monterde García, “Un apunte sobre los principios de Personalidad Y Territorialidad del Derecho Visigodo”; Mestre, Dra. Vitaline Lacerda, “Paridade dos Géneros nos Perfilhamentos na Idade Média (Perfilhação / Adopção nas suas diversas vertentes); Professor Doutor Filipe Alves Moreira, “Fr. Gil de Tavira e a datação do manuscrito do Leal Conselheiro de D. Duarte”; Professor Doutor Carlos Roberto Figueiredo Nogueira, “Excluir, visualizar e proteger: A Lepra no século XIV em Portugal.”; Professor Doutor Duarte de Babo Marinho, “A atuação diplomática de Gomes Eanes e de Martim de Távora com vista à libertação do Infante D. Fernando (1439-1441)”; Coronel Carlos Paiva Neves, “Messianismo paracletiano: a inspiração espiritual de D. Manuel I e de Cristóvão Colon”; Professor Doutor António Xavier Pereira Coutinho, Professor Doutor Lourenço Nobre Pereira Coutinho, Mestre Doutor Miguel Carlos Pereira Coutinho, “António Dias de Novais e a Ordem de Cristo – análise de um documento inédito do século XVI”; Doutoranda Teresa Maria Oliveira, “A Imagem de Lutero na Arte: Os retratos de Lucas Cranach”; Dra. Alzira Almeida, “Frades Arrábidos em Minde”; Dra. Mafalda de Noronha Wagner, “A Remodelação do Palácio de São Cristóvão na 1ª metade do século XVIII – Um projecto do prestigiado Arquitecto Régio Manuel da Costa Negreiros”; Professor Doutor Guilherme Gomes da Silveira d’Avila Lins, “A participação da Paraíba na revolução republicana de 1817 e sua repressão como crime de Lesa Majestade”; Professor Doutor Daniel Protásio, “Lord e Lady Russell em Portugal: intervenções oficiosas e oficiais (1832-1834)”; Coronel Paulo Silvério, ““A pátria nada me deve”. Reminiscência da vida do General Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo. “O português mais ilustre do nosso século””; Professor Doutor José Luiz Assis, “António José de Lima Leitão (1787-1856): Cirurgião Militar, Médico, Político, Professor e Escritor”; Professora Maria Manuel Simão, “Os Presos Políticos no Reinado de D. Miguel do Cartaxo e de Santarém”; Professora Doutora Ana Carina Azevedo, “Entre voluntarismos e resistências, o imperativo da produtividade. O processo de criação do Instituto Nacional de Investigação Industrial nos meandros do Estado Novo”; Doutorando José Jerez Iglesias, “El Derecho de Proteccion de la Salud en Portugal: Presente y Perspectivas de Futuro”; Professor Doutor Nuno Caetano Poiares, “Da Justiça alternativa em Portugal”; Professor Doutor António Macieira-Coelho, “A Ciência Económica face à História das Ideias, ao Mundo Global e ao Novo Processo Criativo”; Professora Doutora Eduarda Coutinho, “Ilhas do Mar de Prata / Bijagós - Guiné-Bissau”; Mestrando José Carlos Antas, “Os Conceitos de Liderança e os Paradigmas Atuais”; Professora Doutora Teresa Maia e Carmo, “Ensino Superior 2.0: os MOOC como caminho de abertura?”; Professora Doutora Ana Nobre, “Um percurso pela Educação: Didática – Pedagogia – Didactologia”; Professora Doutora Jesus Maria Sousa, “Uma escola que se esgotou”; Professor Doutor Paulo Frazão Roberto, “Caleidoscópio Pessoa: contradição – multiplicidade – devir”; Professor Doutor Ricardo Bessa Moreira, “As pessoas como o activo mais importante da organização: retórica, realidade ou utopia?”; Engenheiro Carlos Calado, “A Matemática pode reduzir a abstenção eleitoral”; Professora Doutora Maria Antónia Pires de Almeida, “Políticas Públicas em Territórios Desiguais”; Mestre Dr. Nuno Matias, “A importância prospectiva do mar”; Professor Doutor José Beltrão, “Interação água-salinidade-fertilizante na reutilização das águas residuais na rega”; Suplemento - Professor Doutor João Maia, “O pós-humano: ideias e problemáticas sobre a criação da inteligência artificial”; Recensão - Dra. Inês Salgueiro, “Consciouseness and Subjectivity”; Recensão / Leituras - Professor Doutor Juan Manuel Alba Bermúdez, “Estudios comparativos de la ley mosaica con la legislación babilónica, en “Nuevo comentario ilustrado de la Biblia”, de Earl D. Radmacher, Ronald B. Allen y H. Wayne House.”; Biografia -Mestre, Dr. Nuno Domingos, “Francisco Pereira Viegas / Um Construtor da Democracia”.

       A “protecção dos Mecenas” é a acção relevante e imprescindível para o Centro de Investigação na sua abrangência, mostrar o que vai ser o futuro. Nesta afectividade e emoção, reconhecemos como o “Mecenato” suaviza o esforço possível para o Centro de Investigação alcançar as metas almejadas.

      Uma palavra especial e de profundo reconhecimento é devida à Câmara Municipal de Santarém, mais se sublinha o que é coerente e credível, o reconhecido louvor contemporâneo pela sua forma de adoptar protecção e convivência a diferentes culturas.

 

Santarém

Novembro de 2018

 

Martinho Vicente Rodrigues

O Director